.










.

AJUSTAMENTO




Seria nosso Pai a essência do amor e da justiça, se por qualquer razão que seja não favorecer o ajustamento daqueles que contraíram a divida?  Porém dizer que o ajustamento a correção necessária trata-se das penalidades impostas como castigo, seria  infundado argumento.  A maquina por mais moderna e eficiente que seja, consegue por si,  realizar os ajustes que  favorece a correção de um defeito ou falha que lhe impede o funcionamento?  Para tal necessidade existe a justiça divina, que orquestrada as mãos  de cuidadoso mecânico, que por expressivo zelo do amor e caridade, não pode apenas  corrigir , sem lhes ofertar  a lição da consciência e do aprendizado.  Tudo o que faz o nosso Pai, é por amor, senão apenas lançaria sobre os devedores a imposição da pena. Contrário a  razão limitada por nosso egoísmo, ele  permite  a escravidão do livre arbítrio, que ora induz aos cegos as infelizes  escolhas movidas por paixões terrenas.  O mecânico que ora mencionamos deveria arrochar  os parafusos atuando decisivamente  ate o limite para que a maquina funcione corretamente? Pois bem!  não somos maquinas mas é assim  a justiça divina, não é um personagem transfigurado na imagem humana nem algo semelhante, a justiça divina consolida-se com a mesma essência criadora do universo, trazendo imperiosa harmonia. Porém numa descrição simplória para compreensão dizemos: a justiça divina é a ferramenta e o mecânico dirigidos e coordenados por nossas próprias escolhas.  Quando lançamos contra as forças sutis do universo, energias infelizes que produzimos por nossas ações irresponsáveis ou  omissões, garantimos resposta a justo tempo, “ajustamento.”   Se hoje amargamos dias de infelicidade que pelos quais desejamos de todo o coração nunca ter experimentado, é porque ontem ao sabor dos caprichos egoístas nos furtamos a responsabilidade da obediência aos nossos deveres, a exemplo  os  dez mandamentos. Saibam que são mandamentos, “mandados, ordens” que deveríamos seguir sem questionar. Mas a nossa cegueira em tempos de liberdade “livre arbítrio”  nos faz erradamente crer que tudo podemos. Mas essa mesma cegueira, também será veneno entorpecedor  a tirar-nos as forças de buscarmos o  remédio. Por isso meus amados irmãos, tenham humildade em seus corações, para refletirem sobre as escolhas que fizemos, e os resultados que obtivemos, buscando a santificante oportunidade do ajustamento enquanto ainda podem fazê-lo por nossas próprias escolhas, pois o ajustamento imposto pela justiça divina, é a medida exata para que o filho possa compreender e enxergar muito alem do egoísmo, ganância, ódio, rancor, magoa e tantos outros venenos, que juntos traduzimos na desesperança e falta de fé. “ embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um, pode começar agora e fazer um novo fim.”
Jesus seja conosco sempre.
Anésio